quarta-feira, 20 de setembro de 2017

A IMPORTÂNCIA DO TESTADOR NO DESENVOLVIMENTO ÁGIL


Ricardo Bozzeda, MBA, CTFL-AT, CTAL-TM, ITIL

Cresce vertiginosamente o número de empresas que utilizam o Modelo de Desenvolvimento Ágil, o que significa que estamos desenvolvendo e lançando softwares em um ritmo muito mais rápido. Entretanto a mudança para o Ágil cria novos desafios para os testadores que precisam equilibrar a velocidade com a qualidade. Mas como se mover em um ritmo ágil e, ao mesmo tempo, garantir que o software não tenha defeitos críticos?

A resposta está em utilizar as ferramentas corretas, ter um nível aceitável de automação e “integração continua” e principalmente contar uma equipe de testadores que possuam um conjunto de competências técnicas, conhecimentos e habilidades em técnicas especificas.

Na maioria das organizações, o papel do testador é subestimado. Existe uma percepção geral na indústria de que os testadores são um tipo de profissionais de segunda categoria, que não são tão importantes, necessários ou brilhantes como os desenvolvedores, têm salários mais baixos, há uma proporção mínima de testadores em comparação com desenvolvedores e há muito pouco ou nenhum investimento em treinamento. Para os executivos destas empresas, a equipe de testes é vista apenas como um centro de custo, no entanto, nada está mais longe da verdade. Hoje independente do ramo de atuação, o software é fundamental para operar o negócio e manter os clientes satisfeitos. Não se trata simplesmente de “testes de software”, mas sim de “qualidade de software”. Se algo der errado no software, os danos causados ​​à empresa podem ser catastróficos.

Um bom exemplo que ilustra esta afirmação é: Quanto custou para a Amazon ficar 13 minutos fora do ar? A revista Forbes calculou o prejuízo levando em consideração seu faturamento nos anos anteriores. Em 2008, uma queda dos servidores custava aproximadamente US$ 31 mil por segundo. Já em 2012 esse valor subiu para US$ 66 mil. Levando em consideração os US$ 107 bilhões vendidos pela empresa em 2015, a queda em 2016 teoricamente custou US$ 2.646.501,00.

Os testadores no modelo ágil fazem muito mais do que apenas testar. Eles asseguram a qualidade do produto durante a sua criação. Os testadores ágeis devem sempre poder dar aos desenvolvedores um feedback rápido. A "Integração contínua" ajuda a tornar isso possível. Os testadores complementam diariamente os componentes existentes com os novos componentes criados. Nesta etapa a automação de testes desempenha um papel decisivo, com ela é possível repetir o teste de regressão todos os dias e também testar os componentes mais recentes. Os problemas que ocorrem podem então ser relatados imediatamente. Esta é a vantagem decisiva em relação à garantia de qualidade convencional e burocrática, que muitas vezes levaria semanas antes dos relatórios de erros e os incidentes poderem ser relatados ao time de desenvolvimento. Assim, perderiam horas e semanas valiosas.

A detecção precoce de problemas e o feedback rápido para os desenvolvedores são os principais benefícios gerados por um testador ágil. Embora a qualidade do software seja uma questão para toda a equipe, os testadores da equipe têm uma responsabilidade especial. Eles devem garantir que as dívidas técnicas sejam limitadas e reduzidas.

Testar software é uma disciplina que requer muito talento, preparação contínua e uma mentalidade diferente para projetar estratégias para uma melhor cobertura funcional e consequentemente melhorar o próprio projeto de software. Empresas e equipes devem perceber a importância desse papel.

Desenvolvimento no Modelo Ágil não faz mágicas, ainda é software que deve ser projetado, construído e testado; a mudança está na abordagem colaborativa e na integração em períodos curtos através de uma equipe que combina e valoriza suas disciplinas; é isso o que faz a diferença.